Available Filters

Diálogos com a Pedagogia Freinet: fundamentos e práticas em movimento

Adriana Pastorello Buim Arena, Valéria Aparecida Dias Lacerda de Resende

Para compartilhar:

Descrição

APRESENTAÇÃO

No movimento de pesquisas e de estudos ocorridos no contexto do projeto trienal Pedagogia Freinet: os princípios da escola moderna para o ensino do século XXI, o grupo Lecturi dá os contornos finais às palavras de professoras – que na luta diária por abrir as portas da sala de aula para a vida, buscam uma escola melhor para as crianças – e publica, com entusiasmo, o segundo livro decorrente desse desejo latente de transformar a educação e a sociedade com os homens de amanhã.

Diálogos com a pedagogia Freinet: fundamentos e práticas em movimento tem como objetivo apresentar algumas propostas pedagógicas que se realizaram em salas de aula brasileiras à luz das técnicas de trabalho que Freinet utilizou em sua sala de aula, no contexto francês. Como lanterna que guiará o foco da leitura, faz-se necessário retomar o conceito de método natural e o de técnicas de trabalho pedagógico.

Primeiramente, é preciso destacar alguns preconceitos e usos que academicamente foram criados em relação ao termo técnica, que revelam modelos e concepções epistemológicas de ciência e que repercutem no campo educacional. Por um lado, há um entendimento que a técnica e seu emprego são quase como um vírus da Covid-19 que precisa ser evitado a todo custo, pois o uso da palavra pode ser mal compreendido e sua materialidade taxada de práticas tecnicistas, que mantem o fazer pedagógico circunstanciado a um executar sem reflexão, bem adestrado e administrado. Para distanciar-se desse contágio, muitos professores assumem posturas espontaneístas e assistemáticas, negando a reflexão contínua do fazer pedagógico.

Um segundo modo de entender a técnica é por meio de seu uso ‘puro’, eficiente, eficaz e competente frente à matéria prima que recebemos – a criança – para transformar em produto manufaturado de primeira qualidade para o sistema neoliberal que organiza a distribuição da riqueza no mundo. Esse entendimento é respaldado pela epistemologia da prática e pelo discurso que a teoria é apenas um discurso, distante da realidade.

Assim, muitos de nós temos medo e evitamos usar a palavra técnica para que o relato de nossa práxis não seja entendido como um grosseiro conjunto de procedimentos a ser seguido, sem qualquer alteração. Seguramente, a palavra técnica empregada neste livro não está nessa esfera de compreensão e avisamos que será usada assim como a concebia Freinet, ou seja, as técnicas, os princípios e os instrumentos são solidários, indissociáveis e relacionados dialeticamente, o que implica dizer que não há prática neutra, espontaneísta, e sim, um trabalho forjado no materialismo escolar e na luta vivida cotidianamente em cada sala de aula das autoras.

Compreendemos que método e técnica são conceitos diferentes tanto na pedagogia Freinet como fora dela. O termo método natural foi utilizado por Freinet para fazer oposição a todos os métodos tradicionais de sua época. Para melhor recuperação do conceito, indicamos a leitura do capítulo Freinet e o método natural: da simplificação conceitual ao entendimento epistemológico publicado no livro Por uma pedagogia Freinet: bases epistemológicas e metodológicas. Por hora, ficamos com a redução da explicação: o método natural é um conjunto de princípios filosóficos, psicológicos e pedagógicos que rege toda e qualquer ação pedagógica.

É preciso conhecer o pensamento de Freinet, para entender que o método natural não é uma receita de passo a passo, que o professor pode aplicar em qualquer lugar da mesma forma, mas princípios teórico-metodológicos para a educação. Portanto, utilizaremos a palavra técnica no estreito laço com os princípios do método natural: ela é a via de materialização dos princípios proclamados pelo método natural, é a manifestação concreta – material – de um pensamento – imaterial – que ganha forma e vida com o trabalho. É pela técnica que se pode chegar à operacionalização das ideias defendidas no complexo método natural. As técnicas também não têm uma receita rígida, porque os meios de produção mudam ao longo do tempo, então, o que nos permite, assim como fez Freinet de também chamá-las de instrumentos. Tomemos como exemplo a técnica – ou o instrumento – texto livre. Ele não tem que ser produzido obrigatoriamente no papel com a periodicidade inflexível de todos os dias da semana, mas pode ser acordado com o grupo-classe a quantidade de vezes que ele entrará em roda ao longo de uma semana ou uma quinzena, o suporte, ou melhor, em quais suportes ele será inscrito. O que não muda é sua natureza a serviço dos princípios do método natural: o instrumento ou técnica texto livre é o espaço da vez e da voz da criança e é com a necessidade de produzir na linguagem escrita seus enunciados que ela vai aprender a escrever sem os manuais didáticos tradicionais.

Essa breve explicação tem como propósito explicitar que a técnica freinetiana está encharcada e é movida por seus princípios. E aqui, neste livro, as técnicas precisam ser entendidas nesse contexto, porque foi nele que os relatos se construíram.

Em cada capítulo encontraremos o uso de técnicas freinetianas adaptadas ao tempo e ao espaço em que foram utilizadas na busca constante de cada autora de restituir à educação seu lugar na Vida para minimizar os problemas de desigualdades e de injustiças que atravessam a história da educação pública brasileira.

Esperamos que você, caro leitor, encontre neste livro, uma possibilidade de diálogo e inspiração para reencontrar as linhas do compromisso ético e político da nossa profissão docente.

Adriana Pastorello Buim Arena
Valéria Aparecida Dias Lacerda de Resende

Líderes do grupo Lecturi

Informação adicional

Ano de lançamento

2022

ISBN

978-65-5869-865-4

ISBN [e-book]

978-65-5869-866-1

Número de páginas

307

Organização

Adriana Pastorello Buim Arena, Valéria Aparecida Dias Lacerda de Resende

Formato

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.