Available Filters

Entre atividades metalinguísticas e epilinguísticas: um enfoque em exercícios a serem aplicados em sala de aula

Aparecida Feola Sella, Clarice Cristina Corbari, Eviliane Bernardi, Renan Paulo Bini

Para compartilhar:

Descrição

APRESENTAÇÃO

O debate sobre o ensino contextualizado da gramática não é recente. Já há algumas décadas, a crítica à abordagem da gramática limitada à identificação e classificação de palavras em frases soltas e dissociadas de seu contexto de produção permeia escolas e universidades e se reflete no mercado editorial (em que se destacam autores como João Wanderley Geraldi e Irandé Antunes) e nas diretrizes curriculares oficiais. Compreende-se, portanto, a importância de verificar o funcionamento dos elementos linguísticos nos textos. Contudo, no que diz respeito aos livros didáticos, embora possamos testemunhar a evolução desses materiais, nos últimos anos, tanto em relação ao trato com o texto quanto em relação à abordagem gramatical, nem sempre se observa um encaminhamento da leitura e da produção de texto que contemple o entendimento de que conhecer a estrutura da língua pode auxiliar nos processos de interpretação.

No processo de escrita, é consenso que os alunos precisam reconhecer o que são textos produzidos com coerência e coesão, adequação vocabular, pontuação correta, ortografia, manutenção do tema, conformação à tipologia textual e ao gênero discursivo, entre outros aspectos. Tornou-se também consenso que os alunos precisam saber o que seria uma linguagem mais formal ou informal, conforme a situação. Tudo isso exige metodologia adequada e ainda a devida explicação da utilidade de determinado conteúdo e respectivos exercícios.

Os exercícios voltados para a estrutura sintática, semântica, pragmática e discursiva da língua devem levar os alunos à identificação de variedades linguísticas e ao entendimento de que a norma-padrão é necessária ao acesso à modalidade escrita. As estratégias para facilitar a análise da construção da frase, porém, devem estar sempre em função de um projeto de dizer. Na sala de aula, é preciso viabilizar a produção de textos, o que depende da organização dos exercícios sobre os elementos linguísticos mais variados, que levem o aluno a uma exposição gradual de estruturas, das mais básicas às mais complexas, de forma que os alunos possam expandir as expectativas com relação a conteúdos como conjunções, advérbios, verbos etc. A exposição progressiva, embasada na Linguística, em exercícios planejados para que o aluno os utilize na leitura e produção escrita pode render a percepção de utilidade de tais conhecimentos.

Diante desse quadro, tentamos apresentar, nesta obra, em sete capítulos, bases teóricas e propostas de aplicação no ensino, com exercícios, indicação de possibilidades e comentários que julgamos pertinentes. O texto que inaugura a obra, Epilinguismo e metalinguismo: criatividade no ensino da língua portuguesa, de autoria de Aparecida Feola Sella, apresenta discussões sobre o conceito de atividades metalinguísticas e epilinguísticas, que julgamos basilar para entendimento da proposta desta obra. O foco da discussão, nesse capítulo, é a necessidade de pensar nos elementos linguísticos a partir da criatividade, conceito relacionado à compreensão de que a língua oferece um leque de alternativas – “formas possíveis” de construção linguística –, das quais o aluno se serve para realizar a leitura e desenvolver a escrita.

[…]

Os organizadores

Informação adicional

Ano de lançamento

2022

ISBN

978-65-5869-675-9

ISBN [e-book]

978-65-5869-679-7

Número de páginas

218

Organização

Aparecida Feola Sella, Clarice Cristina Corbari, Eviliane Bernardi, Renan Paulo Bini

Formato

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.