Available Filters

Experiências no ensino e na pesquisa: tessituras possíveis

Elizeu Arruda de Sousa, Solange Santana Guimarães Morais

Para compartilhar:

Descrição

PREFÁCIO

O Núcleo de Pesquisa em Literatura Maranhense-NUPLIM, formado no ano de 2015, tendo como líder e vice-líder, respectivamente, as professoras doutoras Solange Santana Guimarães Morais e Maria do Socorro Carvalho, adotou, desde o início, como área predominante, Literatura Maranhense e outras linguagens artísticas, contemplando as linhas de pesquisa do grupo. O NUPLIM é parte extensiva da Universidade Estadual do Maranhão-UEMA, a partir do Centro de Estudos Superiores de Caxias-CESC e, os que formam o NUPLIM, doutores, mestres, mestrandos, graduados, graduandos e técnico, consideram-se resistentes a grande onda neoliberal cujo escopo é desacreditar o público em favor do privado.

O NUPLIM não se intimida com o discurso privatizante neoliberal e não deixou de produzir por causa da pandemia do Covid 19 que, no Brasil, iniciou seus efeitos deletérios a partir de março de 2020. O NUPLIM acredita nas educação e saúde públicas e, considerando a gravidade da atual crise sanitária no país, aproveita para reforçar as necessidade e importância do Sistema Único de Saúde-SUS.

Não é novidade ataques do liberalismo as instituições públicas, como as universidades e o SUS, enfraquecendo, propositalmente, as suas autonomias e reduzindo-se cada vez mais os recursos destinados a mantê-las em pleno funcionamento para, em seguida, propor-se modelos baseados na iniciativa privada e que tenha o foco deslocado da qualidade para outro qualquer.

Nestes tempos em que esse tipo de estratégia discursiva reaparece mais forte e escolhe como alvos prioritários professores, alunos e pesquisadores, a publicação de textos acadêmicos resultantes de pesquisas teórico-metodológicas age como uma vela em um barco que singra mar tenebroso: aberta, impõe resistência à 8 correnteza e, a depender da força do vento, recua, desvia, ganha velocidade e ultrapassa os atravancamentos do caminho.

Movida por este espírito, a publicação do livro Experiências no ensino e pesquisa: tessituras possíveis é uma demonstração contundente do trabalho desempenhado pelas universidades públicas, em pleno contexto pandêmico, e que reforça as iniciativas de resistência aos discursos e práticas que querem deslegitimar a pertinência, o valor e a importância dos cursos da área de humanidades. Como se toda a vida humana não fosse ela, também, texto, discurso, memória, oralidade… enfim, cultura.

As pesquisas desenvolvidas e apresentadas neste livro, em forma de textos, evidenciam o que determina o artigo 207 da Constituição Federal de 1988, ou seja, que as universidades obedecerão ao princípio da indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão. Ao tempo que demonstra as iniciativas de ensino que envolvem a formação de profissionais da educação, a obra ora prefaciada, articula, também, as pesquisas que são desenvolvidas no processo de formação e as atividades extensionistas que buscam resolver situações-problema da realidade empírica, principalmente as encontradas nas escolas públicas.

A importância de iniciativas como esta, além de, como dito, se constituírem como resistência as correntezas neoliberais na educação, estimulam novas produções e colocam em cena práticas exitosas de trabalhos oriundos de projetos de Iniciação Científica, Extensão e Iniciação à Docência, ratificando, ainda mais, a necessidade de políticas públicas educacionais que possam fortalecer as licenciaturas e permitir o melhor desenvolvimento de profissionais da educação. Em paralelo, a experiência que jovens pesquisadores ganham ao participarem de projetos dessa natureza, e ao estarem vinculados a grupos de pesquisas coordenados por professores experientes e comprometidos com a qualidade do desenvolvimento humano e intelectual do seu entorno, ajuda a criar um círculo virtuoso que, em pouco tempo, beneficiará desde a Educação Básica ao Ensino Superior, pois, à medida que saem da universidade com melhor formação, formarão melhor novos alunos e alunas que, também, em breve, estarão ocupando as universidades.

Reitera-se que ao articular a indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão, a presente coletânea aponta para uma visão formativa que privilegia, de maneira equilibrada, a produção de novos conhecimentos, a solução de problemas sociais contemporâneos e a formação de profissionais competentes e conhecedores de sua importância para o desenvolvimento social mais igualitário. Deixa-se mais evidente ainda que a universidade, ainda que em contexto pandêmico, não é e não pode ser vista como uma “torre de marfim” que produz e vive uma realidade desarticulada do seu momento presente e do seu espaço circundante. A razão de ser, tanto da universidade quanto dos profissionais que nela atuam, é a sociedade e os seus anseios.

O Núcleo de Pesquisa em Literatura Maranhense – NuPLiM – Letras/CESC/UEMA, parceiro do CNPq, realiza esse trabalho de afirmar a universidade como espaço de pesquisas, estudos e discussões sobre temas importantes para a intelectualidade no ensino superior. Um espaço privilegiado como a universidade não pode tornar-se alheio às conjunturas local, nacional e mundial.

Dessa forma, a aprovação de projetos de iniciação científica pelo CNPq, FAPEMA, UEMA, e de extensão, PROEXAE/UEMA; e, outras parcerias com a Rede Iberoamericana de Estudios sobre Materiales Orales – RIEMO, o Laboratório de Análises de materiais Orais- LANMO, Grupo de Pesquisa em Literatura, Arte e Mídia – LAMID, Programa de Pós-Graduação em Letras-PPGL/UEMA, Liga Interdisciplinar dos Cursos de Letras do CESC-LICLE possibilita a propagação de autores e obras em artigos publicados em livros e periódicos nacional e internacional.

Caxias-Maranhão, Brasil, novembro de 2021
Professor Dr. Emanoel Cesar Pires de Assis (CESC-UEMA)
Professor Me. Francinaldo de Jesus Morais (SEDUC-MA)

Informação adicional

Ano de lançamento

2021

ISBN [e-book]

978-65-5869-592-9

Número de páginas

145

Organização

Elizeu Arruda de Sousa, Solange Santana Guimarães Morais

Formato