ISBN: 978-65-86101-40-9
eISBN: 978-65-86101-41-6

Autor/Organizadores: Ana Cláudia Bortolozzi; Tamires Giorgetti Costa; Leilane Raquel Spadotto de Carvalho

APRESENTAÇÃO

Tamires Giorgetti Costa

Este é o quarto volume da Coleção Sexualidade & Mídias em que se buscou por meio de recursos audiovisuais, analisar temáticas relacionadas à sexualidade humana e seus desdobramentos sociais. No momento atual, os meios de comunicação juntamente com a produção de vídeos, propagandas, filmes e séries contribuem espontaneamente para que as vivências sejam retratadas e representadas em cenários fictícios, que em sua maioria, traduzem a realidade ou se assemelham a ela.

Na disciplina de Desenvolvimento e Educação Sexual do Curso de Psicologia, da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP, da Faculdade de Ciências, campus de Bauru, os discentes por meio de reflexões teóricas aprofundam seus entendimentos sobre sexualidade humana e educação sexual e o papel da psicologia, a partir de conteúdos como a contextualização histórica da educação sexual, gênero, repressão sexual, sexualidade no desenvolvimento humano: infância, adolescência, idade adulta, velhice e, sexualidade e deficiências. Tais conteúdos foram ministrados pela docente Associada Ana Cláudia Bortolozzi na referida disciplina que eu participei como colaboradora em ações de estágio docência, na qualidade de mestranda de pósgraduação e sua orientanda.

Como apontado antes, Durante as aulas é comum o relato de alunos (as) sobre diversos documentários, séries e seriados, filmes etc. que são parte de seu cotidiano, dos temas abordados e, em grande medida, esses exemplos possibilitam discussões proveitosas e educativas. Além disso, na elaboração de programas de educação sexual, esses meios tornam-se também recursos importantes a serem considerados.

Diante dessa situação, elaboramos uma proposta de avaliação processual para os (as) alunos (as) do curso de Psicologia que participavam da nossa disciplina que fosse ao encontro desse emergente interesse. Assim, sozinhos, em duplas e/ou trios, os (as) alunos (as) se organizaram na tarefa de escolherem uma temática de interesse e um vídeo que tratasse de tal temática, e, a partir da consulta da literatura e da formação recebida no curso, realizassem uma análise crítica desse material. Essas análises foram apresentadas em sala de aula, coletivamente, enriqueceram a todos nós (MAIA; DE CARVALHO, 2019, p. 10-11).

Assim como no ano de 2018, nas disciplinas do ano de 2019, os (as) alunos (as) também produziram textos com qualidade, cujas análises resultaram na proposta deste livro. Neste Volume 4, os filmes e séries trazem discussões sobre questões relacionadas ao corpo, adolescência, envelhecimento e conjugalidade, todas mediadas pela compreensão da sexualidade como ampla, fluida, socialmente e historicamente construída.

O primeiro Capítulo, Ninfomaníaca, dos (as) autores (as) Gisele Egidio Iriarte, Laís Augsten Galvão e Lukas Ziegler Justino, discorre sobre a compulsão sexual feminina. Os três capítulos seguintes irão tratar da sexualidade ao longo do desenvolvimento humano e da construção do gênero: o Capítulo 2, Grace and Frankie das autoras Karine Lins Casto, Lara Cardoso Buson e Mariana Favorido Sant’Ana, que discute a sexualidade feminina no envelhecimento; o Capítulo 5, Wanderlust de autoria de Guilherme Sanches da Silva, Gustavo Borghi Gonçalves e Juliana Aparecida Sparapan, que reflete sobre o desejo sexual em relacionamentos a longo prazo e o Capítulo 8, com o filme A insustentável leveza do ser, dos (as) autores (as) Camila Orpinelli, Giovana Orru Tiengo e Renan Pereira Cardoso, que discute os relacionamentos afetivos sexuais e gênero.

Outros (as) autores (as) enfatizam a construção do corpo e suas facetas: uma estrutura política, parte do mercado sexual e como um dos padrões esperados socialmente, são eles: o Capítulo 3, Tatuagem, das autoras Bárbara Freitas, e Rafaela Pasini da Cunha, que analisam o corpo como resistência e política; o Capítulo 4, Cam, de autoria de Ana Júlia Zainun, Caique Mendes Cordeiro e Juliana Zancheta Lavorenti, que reflete sobre o trabalho das strippers virtuais e a exibição dos corpos no mercado sexual; e por último, o Capítulo 11, Amor é Cego e Megarrromântico de autoria de Daniel de Medeiros Gaiotto, Luíza Mari Mardiression e Pedro Henrique Garrido Nagai que realiza uma análise comparativa sobre o corpo gordo e a sexualidade entre os dois filmes.

Quatro capítulos problematizam a sexualidade na puberdade e na adolescência: o Capítulo 6, em Lolita, de autoria de Cyro de Assis Dias Neto, Luísa Mazzei Gaspar e Thaís Ferminiano Bohn, problematizando a questão da pedofilia; o Capítulo 7, Euphoria de autoria de Bruna Elisa Baroni e Carmen dos Santos Godoy Ura, que abarca a sexualidade na adolescência e a utilização das mídias sociais; o Capítulo 9, Sonhos Roubados de autoria de Alexia Tomazetti Gracio, Isabella Fernanda Rodrigues Felipe e Tamires Paes de Oliveira, que reflete e relaciona temáticas como a prostituição, violência de gênero e gravidez na adolescência; e por fim, o Capítulo 10, American Pie de autoria de Cauê Bighetti Fernandes e Pedro Miguel Simões Bunemer que apresenta a iniciação sexual masculina na adolescência.

Os temas são diversos, mas tecem um mesmo cenário: como certos padrões impostos socialmente, tais como de conjugalidade (relacionamentos amorosos), de sexo (relações sexuais), de estética (beleza e corpo magro), aparecem na vivência de crianças, adolescentes, adultos e idosos. Além disso, mesmo no campo das chamadas “problemáticas” psicológicas e sociais, como a compulsão sexual ou falta de desejo sexual, pedofilia, infidelidade, mercado sexual, prostituição, etc. há de se reconhecer como essas questões são marcadas por violência de gênero. Esperamos que cada leitura provoque em você sensações diferentes, e a curiosidade em assistir os filmes e séries aqui retratados.