Available Filters

Leitura e Ensino de Língua

Ângela Francine Fuza, Cristiane Malinoski Pianaro Angelo, Renilson José Menegassi

Para compartilhar:

Descrição

A CONSTITUIÇÃO DO LIVRO

O livro Leitura e ensino de língua oferece várias abordagens teórico-metodológicas distintas sobre a habilidade da leitura, todas relacionadas aos campos da Linguística e da Literatura, com o objetivo comum de extrapolar as bases teóricas plenas, a voltar-se às práticas relacionadas ao ensino de língua. A obra conta com a participação de pesquisadores de diferentes instituições brasileiras e de distintas áreas teóricas, focados no interesse pelos estudos relacionados à leitura, a partir do entrecruzamento da produção científica e da prática pedagógica. Assim, o conjunto eclético de textos apresentados justifica-se em função da pretensão de constituirse como um espaço de abertura e expansão à diversidade de posições sobre o que se concebe como leitura na atualidade, dado o reconhecimento da complexidade envolvida em seu processo. Para tanto, todos os capítulos do livro apresentam, consideradas suas abordagens teórico-metodológicas, determinada proposta de trabalho com a leitura, a partir de sua área específica.

A composição da obra se organiza por onze capítulos, a abranger os campos teóricos e metodológicos de Linguística Aplicada, Linguística Textual, Interacionismo, Análise do Discurso, Semiótica, Letramento, Dialogismo e Literatura, a representar um panorama amplo dos estudos sobre leitura voltados ao ensino de língua no Brasil.

O primeiro capítulo, Conceitos de leitura e ensino de língua, de Cristiane Malinoski Pianaro Angelo e Renilson José Menegassi, apresenta uma visão panorâmica dos vários conceitos que são discutidos e praticados no ensino de leitura nas escolas brasileiras. A partir das posições da Linguística e de suas vertentes de pesquisa, juntamente com a Linguística Aplicada, são apresentados os conceitos de leitura: estruturalista, cognitivista, interacionista, discursivo e dialógico. Para elucidar como cada conceito é compreendido no processo de ensino de língua, apresentam-se exemplos de atividades em prospecção a cada conceito explorado no capítulo. Ao final, os autores ressaltam a fundamental necessidade de o professor conhecer os conceitos de leitura que perpassam o sistema educacional brasileiro para saber orientar o aluno-leitor de maneira adequada à construção da leitura e de seu desenvolvimento como leitor.

A compreensão leitora nos anos iniciais do ensino fundamental, de Renilson José Menegassi, o segundo capítulo, discute sobre a compreensão no processo de leitura, sua caracterização teóricometodológica, suas formas de abordagens junto aos leitores em formação, com vistas à determinação de aspectos necessários ao ensino de leitura na escola. As reflexões são realizadas a partir de propostas de atividades de compreensão para o texto do gênero discursivo poema narrativo, também conhecido como conto rimado, como mostra prospectiva do trabalho no Ensino Fundamental Anos Iniciais.

O terceiro capítulo, Leitura de textos poéticos na escola fundamental – anos finais, de Mirian Hisae Yaegashi Zappone, aborda a leitura pelo campo da Literatura como uma prática social de uso de textos literários que, por ser marcada a um espaço social, a escola, possui suas especificidades e seus gestos e tradições particulares. A partir dessa compreensão, o capítulo apresenta, analisa e discute sugestões para a leitura de um texto poético em sala de aula, a levar em conta os aspectos estéticos, não como objetos de ensino por si, mas, como caminhos para o leitor alcançar uma possível compreensão da vida, do mundo, da sociedade em que vive, do outro, de si, enfim, constituir-se como sujeito social através da literatura.

Com o título Perguntas de leitura em ordenação e sequenciação no Ensino Fundamental, de Ângela Francine Fuza e Renilson José Menegassi, o quarto capítulo focaliza o trabalho com perguntas de leitura ordenadas e sequenciadas para o poema narrativo, em articulação com a ilustração que o acompanha em um livro didático do Ensino Fundamental. Os autores demonstram como a abordagem de construção de perguntas de leitura se efetiva como um trabalho docente adequado, a contribuir para a formação e o desenvolvimento do aluno-leitor, assim como para o progresso das competências e habilidades respectivas e necessárias, determinadas pela Base Nacional Comum Curricular.

O texto Entonação valorativa em atividades de leitura, de Jane Cleide dos Santos Bezerra e Renilson José Menegassi, o quinto capítulo, apresenta, como amostra ilustrativa, o trabalho com a produção de atividades de leitura, a considerar a entonação, enquanto elemento axiológico, pela perspectiva do Dialogismo proposto pelo Círculo de Bakhtin, em uma história em quadrinhos retirada de um livro didático de Português – Ensino Fundamental Anos Finais, um gênero discursivo comum ao material didático distribuído e usado no país.

O capítulo seis, Leitura em Sala de Recursos Multifuncionais, de Cristiane Malinoski Pianaro Angelo e Renilson José Menegassi, apresenta, descreve e discute uma sequência de atividades de leitura, articulada com as habilidades da Base Nacional Comum Curricular, para um texto do gênero discursivo conto, como mostra de possível aplicação para a Sala de Recursos Multifuncionais – Ensino Fundamental Anos Finais, a destacar-se a forma como auxilia o aluno-leitor, nesse contexto específico, na produção de sentidos no processo de leitura. Os encaminhamentos teórico-metodológicos da prospecção contemplam o trabalho com as habilidades de decodificação, compreensão textual, compreensão inferencial, interpretação e valoração do tema do texto, a serem desenvolvidas em sequência progressiva, processual, contextualizada, cognitiva, discursiva e valorativa do trabalho com as habilidades em prol da formação e do desenvolvimento do leitor.

No sétimo capítulo, Multimodalidade e leitura: como ver e desver textos, de Ana Elisa Ribeiro, são oferecidas reflexões sobre aspectos de texto, multimodalidade e ensino, num uníssono de trabalho. Para tanto, utiliza como exemplos textos de ampla circulação social, para realizar três movimentos junto aos textos: o de analisar/destecer as peças; o de devolvê-las à sua multimodalidade intrínseca, constitutiva; o de provocar modos de trabalhar com e sobre elas, em sala de aula. Ressalta como missão do professor de língua e de linguagens o empoderamento semiótico de todas as pessoas.

No capítulo oito, Linguística de texto e leitura: propostas didáticas e reflexões para o ensino, de Dennis Castanheira e Leonor Werneck dos Santos, relaciona-se a Linguística Textual ao ensino de leitura na Educação Básica, a destacar aspectos teóricometodológicos a serem levados para a sala de aula. Além disso, propõem-se sugestões de atividades – pensadas para o Ensino Fundamental Anos Finais, adaptadas, também, para outros níveis de escolaridade – e analisam-se enunciados, para mostrar como as dificuldades de leitura decorrem, às vezes, da falta de compreensão dos comandos das questões.

No capítulo nove, Encaminhamentos para uma abordagem discursiva de leitura em sala de aula: o Corcunda de Notre Dame em diferentes materialidades, de Luciana Cristina Ferreira Dias Di Raimo e Luciana Fracasse Stefaniu, discute-se uma abordagem didática de leitura de cunho discursivo, a partir de variadas materializações: o romance O Corcunda de Notre Dame, de Vitor Hugo; a animação do Estúdios Disney Corcunda de Notre Dame (1996); a poesia de cordel O corcunda de Notre Dame em cordel, de João Gomes de Sá (2010). A partir do que as autoras designam como “três momentos de abordagem do texto”, o capítulo propõe um gesto analítico de leitura das capas dos livros e do encarte, a ter em vista as condições de produção das obras. Em uma segunda etapa, sugerem-se atividades de leitura sobre os movimentos de paráfrase e polissemia, para levantar o que se mantém de sentidos entre as obras e os sentidos que são reinventados em cada versão. Já, em uma terceira fase do capítulo, discutem-se as diferenças entre os modos de ler o romance, a animação e a poesia de cordel.

O décimo capítulo, A leitura em perspectiva dialógica: atividades com o poema, de Renilson José Menegassi, Ângela Francine Fuza, Cristiane Malinoski Pianaro Angelo, apresenta discussão sobre as relações dialógicas que constituem possibilidades de construção de atividades de leitura e seus ecos nos encaminhamentos para o trabalho com o gênero discursivo poema, o enunciado concreto escolhido para a exemplificação do processo de produção, ordenação e sequenciação de atividades de leitura a partir dos pressupostos do Dialogismo do Círculo de Bakhtin, voltado ao trabalho com o ensino de língua. O texto ressalta a necessidade de se elucidar os princípios dialógicos da leitura como aspecto imprescindível para a formação do sujeito-leitor responsivo, emancipado e capaz de se posicionar frente a uma ordem estável nas diversas relações sociais.

O capítulo onze, Leitura e análise linguística em perspectiva dialógica: caminhos possíveis, de Lilian Cristina Buzato Ritter e Márcia Cristina Greco Ohuschi, apresenta uma proposta teóricometodológica de leitura e análise linguística em perspectiva dialógica, duas práticas de linguagem muito relacionadas, voltada ao 6.º ano do Ensino Fundamental Anos Finais, a partir de uma parábola moderna, com o intuito de contribuir e orientar o trabalho com outros gêneros discursivos em situação de ensino de língua. Dessa forma, contempla atividades que permitem ao sujeito-aluno construir sentidos e desenvolver habilidades de compreensão e produção valoradas do discurso, por meio das relações dialógicas que se estabelecem no texto-enunciado e das marcas linguístico-enunciativas e discursivas nele mobilizadas.

Os capítulos da obra permitem ao leitor constatar uma visão ampla sobre a habilidade de leitura e como é estudada, pesquisada e proposta como trabalho atualmente no Brasil. Os conhecimentos apresentados subsidiam o leitor a refletir, na posição social de professor, pesquisador, professor em formação inicial, ou mesmo um leitor interessado pelo tema, sobre as condições do ensino e da aprendizagem de leitura, bem como selecionar propostas condizentes à realidade de sua atuação.

Os agradecimentos especiais são para a Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e ao Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Maringá, pelos subsídios necessários à publicação desta obra, pelo Convênio PROAP/CAPES, processo 88881.595309/2020-01.

Boas leituras, ótimas produções de sentidos!

Cristiane Malinoski Pianaro Angelo
Universidade Estadual do Centro Oeste (Irati-Paraná)

Renilson José Menegassi
Universidade Estadual de Maringá (Maringá-Paraná)

Ângela Francine Fuza
Universidade Federal do Tocantins (Porto Nacional-Tocantins)

Informação adicional

Ano de lançamento

2022

Número de páginas

456

ISBN

978-65-5869-716-9

ISBN [e-book]

978-65-5869-724-4

Organização

Ângela Francine Fuza, Cristiane Malinoski Pianaro Angelo, Renilson José Menegassi

Formato